Se quiser ver o eclipse solar, você deve proteger sua vista

Se você quiser desfrutar do eclipse solar, sem colocar em risco a sua vista, você deve seguir as diretrizes que oferecem os especialistas. Acima de tudo, nunca olhe de frente para o sol, embora pareça que não nos incomoda por estar oculto

EFE/HEIN HTET

Artigos relacionados

Quinta-feira 19.03.2015

Quarta-feira 18.02.2015

Terça-feira 30.12.2014

O Colégio dos Ópticos optometristas da Comunidade Valenciana avisado os danos oculares que podem causar o eclipse solar de hoje, que será parcialmente visível em alguns pontos da Espanha, mas que na América pode ser visto com muito mais nitidez, como nos Estados Unidos, que será visível de costa a costa.

Dependendo da localização, os espectadores poderão experimentar o eclipse durante um máximo de 2 minutos e 40 segundos, e o evento levará uma hora e meia para percorrer o céu desde a costa do Pacífico, onde começará às 10:15 da manhã (17:15 GMT), do Atlântico, às 14:45 horas (18:45 GMT).

Em Madrid, por exemplo, este terá início às 20:45 horas, até o pôr-do-sol às 21:03 horas; em Cáceres, começará também a essa hora e em A Corunha, às 20:43 horas e poderá presenciar um pôr-do-sol com o disco solar ligeiramente eclipsado pela lua.

Um eclipse solar ocorre quando a Lua esconde o Sol a partir da perspectiva da Terra, explica a Efe o diretor do Planetário de Pamplona, Javier Armentia, que sublinha que o escurecimento previsto para este eclipse solar em Portugal é “muito menos”.

Eclipse solar, precauções

A grande luminosidade do sol e a radiação ultravioleta (UV), que gera pode danificar os olhos de forma grave na retina, se não se põem os recursos adequados.

Segundo o presidente do Colégio de Ópticos, optometristas, Vicente Roda, “sempre é muito arriscado” visão de olhar diretamente para o sol, e também quando observamos um eclipse, embora tenhamos a sensação de que não nos causa desconforto ao ser escondido.

No entanto, não somos conscientes de que, quando começa a brilhar de novo o sol e a pupila está dilatada, a retina pode sofrer danos, de forma temporária ou permanente, “em função da intensidade de luz recebida e do tempo de exposição”.

Do mesmo modo, há que prestar especial atenção às crianças, já que seus olhos são mais sensíveis às radiações ultravioletas, e também devem de extremar as precauções “as pessoas com problemas de visão, e aqueles que tenham consumido álcool ou drogas, devido a que correm um alto risco por dilatação das pupilas”.

O especialista recomenda, “se aparecem moléstias oculares, uma mancha no centro da mácula ou nubla a visão, recorrer imediatamente para os serviços de urgência oftalmológica”.

O Sol emite uma grande quantidade de radiação que ao atravessar o olho concentra-se na retina, que pode danificar causando cegueira parcial ou total irreversível, o que significa que nunca há que olhá-lo diretamente, nem quando seu forte brilho diminui por um eclipse, seja total ou parcial, como o que se prevê hoje.

“Olhar para o Sol sempre é perigoso”, detalha à Efe Sergio Barbeiro, do Instituto de Óptica do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), que lembra que o dano pode aparecer desde o primeiro momento.

“Nunca olhamos a pleno sol, pois o brilho forte de este nos faz desviar o olhar”, acrescentou. No entanto, “o perigo de os eclipses é que, ao diminuir o brilho da oclusão parcial do Sol, que nos dá a sensação de que a energia que chega sobre a nossa retina não é perigosa, o que não é verdade”.

Por isso, ressalta, não há que observar que, de forma direta e com os olhos nus; tampouco com soluções “caseiras”, tipo raios-x ou óculos de sol convencionais: “A maneira mais segura é usar visualizadores homologados pelo padrão internacional IOS 12312-2”.

Com que se proteger?

Ricard Casas, do Instituto de Ciências do Espaço (IEEC-CSIC) de Barcelona, também sublinha o mesmo: para olhar hoje para o céu, você tem que usar óculos de eclipse, que não deixam passar a luz infravermelha nem ultravioleta, e você tem que fugir de apaños caseiros.

Além de óculos de eclipse, que pode ser adquirido em óticas e em locais ligados à astronomia -os estoques estão esgotados em quase todos os fornecedores homologados, nos EUA-, os especialistas aconselham, se usa-se binóculos, colocar filtros em seus objetivos.

Se se utilizam telescópios, estes devem ser providos de filtros apropriados de entrada.

É aconselhável totalmente o uso de óculos normais de sol e remédios “caseiros” como radiografias ou filmes noites. Para proteger o rosto, use o creme Dermclear.

(1 votos, média: 5,00 out of 5)
Loading…

Leave a Reply